Medo de Dirigir – Um olhar da Psicologia sobre Amaxofobia

Certamente você conhece alguém que mesmo tendo tirado a carteira de motorista (CNH), não consegue tirar o carro da garagem, ou sair com o carro para dirigir. Talvez até dirija, mas sofre demais com o estresse, chegando a suar muito molhando a roupa e tendo que trocá-la ou de tão tenso que fica que acaba por ficar com dores pelo corpo.

Identificou alguém assim? Pois bem esse medo tem nome e se chama Amaxofobia.

A Amaxofobia faz parte dos Transtornos de Ansiedade, sendo classificada como uma Fobia Específica. AMAXO (carro) FOBIA (temor).

Assim como em outros transtornos a Amaxofobia, possui níveis ao qual especificaremos abaixo:

  • NÍVEL LEVE: a pessoa apresenta apenas uma relutância em dirigir, mesmo assim ainda consegue sair com o carro;
  • NÍVEL MODERADO: toleram dirigir, porém com alto nível de estresse;
  • NÍVEL GRAVE: evasão completa de condução e andar como passageiro de um veículo.

De forma geral essas pessoas subestimam as suas próprias habilidades e acreditam que outras pessoas estão observando e avaliando o seu comportamento e erros.
Reconhecem que o medo que sentem é irracional e excessivo.

Algumas pessoas temem situações diversas, no trânsito por isso se utilizam dessas apreensões para não conduzir seus veículos. Para ficar mais fácil a identificação listamos algumas situações temidas:

  • MEDO EM RELAÇÃO À VIA PÚBLICA: como conduzir em rodovias, túneis, pontes, ruas íngremes, intersecção, estacionar, ficar em engarrafamento, mudar de faixa, dirigir em tráfego intenso, dirigir em lugares desconhecidos, ficar perdido;
  • MEDO EM RELAÇÃO AO VEÍCULO: ter problemas mecânicos, um carro mais potente que o seu. Necessidade de dirigir em alta velocidade e de perder o controle na direção;
  • MEDO EM RELAÇÃO ÀS CONDIÇÕES CLIMÁTICAS: como conduzir com chuva, vento, granizo, neblina e a noite;
  • MEDO EM RELAÇÃO AOS ASPECTOS PESSOAIS E SOCIAIS: Como a necessidade de uma reação rápida e inesperada e não conseguir executar essa ação, de atrapalhar o trânsito, sofrer um acidente de trânsito, sofrer uma lesão, ferir alguém, ser criticado por outras pessoas;
  • MEDO EM RELAÇÃO A RECEIOS PSICOLÓGICOS: Sentir muita ansiedade, apresentar uma situação corporal ou mental intensa e desagradável e sofrer um ataque de pânico.

A pessoa com medo de dirigir, assume comportamentos mal adaptativos de segurança, na tentativa de se proteger dos perigos imprevistos de quando dirige.

Sintomas Fisiológicos Intensos e Relatados

  • BATIMENTO CARDIACO ACELERADO;
  • TRÂNSPIRAÇÃO EXCESSIVA;
  • TREMEDEIRA;
  • CALORES OU CALAFRIOS;
  • DORES DE CABEÇA;
  • FORMIGAMENTO NOS MEMBROS (MÃOS E PERNAS).

Sintomas Cognitivos

  • MEDO DE ERRAR;
  • MEDO DE CAUSAR ACIDENTE;
  • MEDO DE PERDER O CONTROLE DA SITUAÇÃO.

Sintomas Psicológicos e Sociais

  • AFLIÇÃO;
  • VERGONHA DAS OUTRAS PESSOAS;
  • VONTADE DE DESISTIR;
  • VONTADE DE CHORAR;
  • DIFICULDADE DE CONCENTRAÇÃO.

A predominância desse medo de direção ocorre nas mulheres, entre a faixa etária dos 35 a 55 anos, geralmente que aprenderam a dirigir tardiamente, entre 20 a 30 anos e resistem buscar tratamento.

O medo de dirigir muitas vezes limita a liberdade da pessoa e a autonomia (principalmente se engloba estar em qualquer veículo automotor).

Prejudica a produtividade. Impacta a autoestima, causando sentimento de frustração e incapacidade e constrangimento social.

Diminui a qualidade de vida, principalmente se estiver associado à comorbidades (depressão, ansiedade e pânico).

Outros quadros associados ao medo de dirigir estão os transtornos, tais como: TRANSTORNO DE ESTRESSE PÓS-TRAUMÁTICO, FOBIA SOCIAL, TRANSTORNO DO PÂNICO, AGORAFOBIA E TRANSTORNO OBSESSIVO COMPULSIVO Tipicamente o medo de dirigir não diminui ou se torna assintomático com o tempo, para isso a pessoa necessita de um acompanhamento profissional.

Então não ignore qualquer sintoma que você esteja sentindo, o que para muitos possa parecer “bobagem”, para você pode modificar sua vida.

Entenda, você é um ser único.

Faça um Comentário